Home Dicas para o trabalhador A importância do feedback

A importância do feedback

4 min read
0
O feedback é uma ferramenta de comunicação importante para qualquer empresa

Muitos trabalhadores sentem calafrios só de pensar no assunto. Poucos gostam de análises pessoais ou críticas, contudo a atividade é benéfica mesmo para o funcionário de cargo inferior.  Alguns chefes se esquecem do exercício, não percebem que o principal elemento afetado é a própria produção da empresa. O feedback é a melhor forma de estabelecer uma comunicação qualitativa entre chefes e funcionários.

Normalmente depois de uma prova o aluno ambiciona saber o resultado da mesma. O mesmo acontece no ambiente de trabalho, a maioria dos funcionários não reclama tanto do excesso de trabalho, mas sim da falta de reconhecimento dos superiores. Os empregados ficam tensos e ansiosos quando ninguém fala nada, é sinal de que as coisas não andam nada bem e fatalmente todos possuem medo de serem despedidos.

Medir o trabalho e resumir o que foi feito até então faz com que trabalhadores se sintam realmente inclusos na corporação.  Motivar é um dos elementos chaves para melhorar a produção e o interesse de crescer lado a lado. Feedback e motivação devem ser sinônimos no ambiente de trabalho. Neste sentido, o monitoramento da produção é extremamente favorável e não uma invasão de privacidade.

A falta de comunicação representa um dos problemas mais emblemáticos das empresas. Não há como saber explicitamente as expectativas, atitudes ou objetivos ambicionados sem realizar um feedback. O líder que não se comunica claramente fica em uma falsa posição confortável, pois a desorganização organizacional pode custar o êxito de todo o projeto.

O feedback é indispensável principalmente em novas equipes ou profissionais mais jovens que precisam constantemente serem acompanhados para que o crescimento profissional seja de fato uma realidade, ao passo que para equipes mais experientes este pode ser um excelente medidor de produção individual. Discutir os problemas para solucioná-los sai mais barato do que contratar um novo empregado.

O chefe que consegue realizar a atividade de forma qualitativa pode até mudar a postura e os pensamentos dos subordinados. Com isso é mais fácil elogiar ou criticar uma vez que todos os pontos são bem explicados e discutidos. As competências e capacidades são estimuladas, melhorando diretamente a produção e as relações interpessoais.

Muitas vezes os empreendedores não entendem porque uma ideia que estava tão clara no papel não traz resultados pragmáticos. A resposta certamente está no baixo nível cristalino com que os objetivos são passados aos funcionários.

As pessoas não são robôs ou máquinas, possuem sentimentos, anseios, expectativas. Todos estes devem ser expressamente preenchidos positivamente para que o empregado se sinta seguro e tranquilo, exercendo melhor a sua atividade profissional.

Foto: buscarempleo.es

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Check Also

Despedidos sem justa causa e combate ao trabalho infantil

A Convenção n. 158 da Organização Internacional do Trabalho afirma que um funcionário R…