Home Mercado de trabalho Aumento do emprego formal no Outubro de 2012

Aumento do emprego formal no Outubro de 2012

4 min read
0
Cadastro Geral de Empregados e Desempregados
Cadastro Geral de Empregados e Desempregados
De acordo com o CAGED (Cadastros Geral de Empregados e Desempregados), órgão vinculado com o MTE (Ministério do Trabalho e Emprego), foi registrado aumento de quase 70 mil empregos de carteira assinada no mês de outubro, alta de 0,17% com relação ao estoque registrado em setembro.

Os números apontam que Brasil continua registrando aumento gradual na geração de emprego em um momento em que o mundo luta contra quedas consecutivas. O resultado de outubro provém de 1.710.580 admissões contra 1.643.592 desligamentos, resultando assim na fração de 69,9 mil. Mesmo em ritmo menor a tendência de expansão na geração de emprego representa realidade nas terras nacionais.

Geração de Emprego: Atividade Econômica

Por atividade econômica três setores demonstraram expansão na geração de emprego no mês de outubro: Comércio (49.597 postos) e serviços (32.725 postos) e indústria da transformação (17.520).

Vale ressaltar que os desempenhos negativos ficaram por conta de setores como: Agricultura (- 20.153 postos) e construção civil (- 8.290 postos), cuja explicação se encontra em parte no encerramento dos contratos e nas condições climáticas precárias; Outros setores que despencaram foram: Administração pública (- 3.521 postos), serviços industriais de utilidade pública (- 597 postos) e extrativista mineral (- 292 postos).

Geração de Emprego por Regiões

Os dados do CAGED demonstram que quatro das cinco grandes regiões brasileiras apontaram aumento na geração de emprego com carteira assinadas:

  • Sul: Abertura de 26.819 postos (+0,38% comparado com setembro)
  • Sudeste: 25.301 postos (+0,12%)
  • Nordeste: 13.747 postos (+0,22%)
  • Norte: 1.590 postos (+0,09%)

Entre as grandes regiões o destaque negativo ficou por conta do Centro-Oeste com perda de 469 postos de trabalho, – 0,02% do resultado demonstrado no mês de setembro.

Mato Grosso com 1.048 postos (+0,17%) e Roraima, em consequência da abertura de 404 vagas (+0,90%), trazem maiores taxas de crescimento entre os estados da região Norte.

Foram 18 Unidades da Federação que demonstraram aumento, com dois Estados demonstrando índices de crescimento recordes.

Os destaques positivos ficam por conta de:

  • São Paulo: 21.067 postos (+0,17%)
  • Rio Grande do Sul: 11.194 vagas (+0,43%)
  • Santa Catarina: 8.969 empregos (+0,47%)
  • Rio de Janeiro: 6.864 postos (+0,19%)
  • Paraná: 6.656 vagas (+0,26%)

Vale ressaltar que na região de Minas Gerais aconteceu queda de 5.039 postos, 0,12% negativos em virtude da diminuição na geração de empregos agrícolas (- 15.307). A Bahia demonstrou descida de 4.886 postos. Goiás também apontou queda de 1.671 postos por causa do decréscimo existente na indústria da transformação: – 2.542 vagas de emprego.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Check Also

Despedidos sem justa causa e combate ao trabalho infantil

A Convenção n. 158 da Organização Internacional do Trabalho afirma que um funcionário R…