Home Formação Como se comportar no programa jovem aprendiz?

Como se comportar no programa jovem aprendiz?

4 min read
0
Comportamento no programa jovem aprendiz
Comportamento no programa jovem aprendiz
Os programas de jovem aprendiz são indicados para estudantes de diversos níveis acadêmicos distintos, de nível médio até superior, desde que os jovens tenham entre 14-24 anos. De certa maneira, o programa visa dar experiência e preparação acadêmica na área ao trabalhador. Conheça dicas sobre como se comportar em programas de jovem aprendiz.

Tenha em mente que durante o trabalho não pode acontecer excesso de brincadeiras no nível infantil. Neste sentido, utilize o tempo pra aprender o máximo, visto que esta é a legítima função e por este motivo que os melhores são notados e conseguem contrato efetivo aos dezesseis anos ou mais. Menores aprendizes estão proibidos de trabalharem no período noturno, mais precisamente entre 22h e 5h.

É necessário curtir a adolescência e não somente ficar no ambiente de trabalho. Por isso que a jornada de trabalho dura no máximo seis horas por dia. As férias acontecem duas vezes por ano. Neste sentido, não há motivos para fazer brincadeiras em excesso ou mesmo deixar de fazer as tarefas básicas, pois existe tempo de sobra para estas atividades.

Trabalhadores do gênero devem receber pelo menos um salário mínimo federal por mês com jornada de trabalho fixada em seis horas. Se os jovens aprendizes estão no ensino médio o período pode ser estendido para até oito horas. Porém, os estudos devem continuar em alta, inclusive com cursos adicionais custeados pelos empregadores. Neste fôlego, quem não estuda está eliminado da continuação no progresso profissional dentro da empresa.

Trabalhe bastante, mas não se esqueça de que no Brasil o trabalho escravo é punível por lei, sendo que qualquer excesso aos direitos humanos deve ser denunciado.

Principais características solicitadas durante os programas de jovem aprendiz

  • Pró-atividade
  • Flexibilidade
  • Criatividade
  • Ousadia
  • Dinamismo
  • Facilidade para trabalhar em grupo
  • Habilidade para relacionamento interpessoal
  • Capacidade de aprendizado rápido

Grande parte dos programas possui entre cinco e sete etapas no processo de seleção composto desde testes online até entrevistas feitas com representantes da empresa. Na prática e necessário ficar atento com todos os detalhes, sempre levando em consideração de que se trata de ambiente de trabalho, e não de lazer, jamais confunda os dois itens.

De acordo com o MTE (Ministério do Trabalho e Emprego), no ano de 2010 existiam quase duzentos mil trabalhadores-mirins no mercado de trabalho brasileiro. Somente na região sudeste havia mais da metade da contabilidade geral, 103 mil contratações. Porém, os números são baixos se for levado em consideração à faixa dos quase 24 milhões de adolescentes no Brasil.

Leia mais

Foto: pordentrodatvglobo.blogspot.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Check Also

Despedidos sem justa causa e combate ao trabalho infantil

A Convenção n. 158 da Organização Internacional do Trabalho afirma que um funcionário R…