Home Entrevista de emprego A entrevista de emprego virou dinâmica de grupo

A entrevista de emprego virou dinâmica de grupo

4 min read
0
As dinâmicas de grupo estão se tornando mais comuns em entrevistas de emprego.

Muitas vezes você está na porta de uma empresa para ser entrevistado quando, de repente, observa um aglomerado de pessoas à sua frente. Qualquer um nessa hora pensa, “nossa! que vaga concorrida”. Logo surge o entrevistador e diz, “vamos fazer uma entrevista conjunta aqui nesta sala”. Não trema e nem fique nervoso, afinal, esta é apenas uma dinâmica de grupo.

Um dos principais objetivos dela é pregar uma surpresa nos candidatos, por isso, fique atento, pois ela ocorre sem aviso prévio. As empresas aplicam diversas atividades em uma dinâmica, porém, no caso da de seleção, normalmente se trocam experiências, perspectivas, entre outros objetivos. Ou seja, é praticamente uma grande entrevista coletiva de emprego.

Neste momento, cabe ao candidato ficar tranqüilo, agir naturalmente, não ficar preocupado com os outros, se concentrar em si mesmo. Muitas vezes existem exageros, e a empresa está procurando alguém mais simples-direto que mantenha, de fato, um vínculo sincero e duradouro com a empresa.

Se habilite, seja o primeiro a responder as perguntas, isso demonstra iniciativa e traquilidade, caso contrário dos que são últimos. Procure não errar o português, responder as perguntas de forma séria, objetiva e não prolixa. De forma alguma utilize gírias. Não seja tão tímido e nem muito arrojado.

Segundo Carolina Telles, executiva da “D’ Moraes Recursos Humanos”, “em uma dinâmica de grupo as competências técnicas não são avaliadas, mas sim, somente as competências comportamentais. Às vezes, algumas atividades que lembram “brincadeiras” são utilizadas como estratégias para observar o candidato e verificar se o seu perfil é adequado às características de personalidade da oportunidade em aberto”.

Uma das características que mais derrubam os candidatos é a alto-promoção; Não tente se sobressair ao discurso do recrutador utilizando técnicas de manipulação (sedução, provocação, intimidação e tentação), afinal, isto não é política e nem semiótica, deve-se convencer e não fingir que convence e, para isso, nada melhor do que ser você mesmo. Diga seu legítimo objetivo em todas as respostas, caso contrário, não irá parece real.

Não fique aborrecido caso seja um dos derrotados do processo da dinâmica de grupo, pois a melhor recompensa é a experiência. Quando existe uma resposta negativa em uma entrevista de emprego o melhor caminho é refletir, rever as faltas, o que deveria ter sido dito, ou até mesmo, seus próprios objetivos profissionais.

Foto: Buscarempleo.es

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Check Also

Despedidos sem justa causa e combate ao trabalho infantil

A Convenção n. 158 da Organização Internacional do Trabalho afirma que um funcionário R…