Home Dicas para o trabalhador Fui convidado para uma entrevista jornalística, e agora?

Fui convidado para uma entrevista jornalística, e agora?

4 min read
0
Saiba como preparar uma entrevista jornalística.

Qualquer cidadão que ambiciona brilhar na profissão, conquistando uma carreira sólida, um dia vai se deparar com convites de jornalistas que almejam realizar entrevistas jornalísticas. Esse naturalmente é um dos caminhos da fama, quem não atende a imprensa fatalmente é esquecido midiaticamente, elemento este que pode afetar crucialmente qualquer plano de carreira destacável. Muitos empreendimentos possuem estrutura de comunicação, procure os assessores e agregue o máximo de preparo possível. Já para os que não possuem o assessoramento, segue algumas dicas de como responder às perguntas de uma entrevista jornalística de forma qualitativa.

Hoje em dia a maioria dos convites é enviada por e-mail. Marque a entrevista em um lugar sem ruídos. Observe atentamente o assunto específico. Demonstre informações claras e objetivas sobre a problemática, saiba qual é o veículo de comunicação que o comunicador trabalha. Logo após conseguir a informação, procure fazer um pequeno estudo a respeito da pauta (assunto). Assim o entrevistado agrega uma visão muito mais panorâmica, o que facilita na clarividência das respostas.

Procure algum comunicador, ou outro colega, e tente simular as perguntas que provavelmente serão realizadas durante a entrevista. Ensaie as respostas, evite “súbitos esquecimentos” e “gaguejadas”. Este é um segredo bastante usado pelos grandes entrevistados, soar natural como se o discutido fosse uma sentença dada em seu itinerário natural.

Procure sempre estar mais informado do que o repórter para sobrepor-se ao discurso, ou clarear melhor as dúvidas do entrevistador. É sempre bom evitar surpresas, busque o maior número de dados, estatísticas, tabelas, fotos, gráficos – utilize o material como apoio para sustentação ao que está sendo divulgado, pois muitos jornalistas podem citar estatísticas espantosas durante as perguntas sem a devida credibilidade.

Quando vemos os debates políticos qualitativos na televisão percebemos que o processo de recolha de dados de um lado contra os dados coletados do outro é o que mais acontece (junto com as ofensas pessoais implícitas). Naturalmente que os grandes partidos possuem grande estrutura de comunicação, por isso que o conflito estatístico existe, este é o melhor caminho para argumentação. Esteja sempre à disposição dos repórteres para complementar qualquer tipo de informação, mesmo após da entrevista. Seja uma fonte com credibilidade.

Alguns erros muito comuns precisam ser evitados: Nunca solicite as perguntas da entrevista previamente, somente à pauta ou uma breve descrição sobre o assunto tratado. E, jamais peça para ler o texto jornalístico antes do mesmo ser divulgado, entenda que a partir do momento em que houve disponibilidade de entrevista, quem decide o que vai ou não ser divulgado é o próprio comunicador.

Foto: Saül Gordillo no Flickr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Check Also

Despedidos sem justa causa e combate ao trabalho infantil

A Convenção n. 158 da Organização Internacional do Trabalho afirma que um funcionário R…