Home Trabalho Autônomo Ser taxista em São Paulo

Ser taxista em São Paulo

4 min read
0
Como ser taxista em São Paulo
Taxi da cidade de São Paulo
Para ser taxista em São Paulo é necessário ter documentos conquistados no DTP (Departamento de Transporte Público): Condutáxi e Alvará. O primeiro consiste no cadastro de motoristas dentro dos sistemas municipais.

Para conseguir é necessário fazer curso de taxista em autoescola. A segunda prerrogativa consiste na liberação para atuar, cujas emissões estão suspensas desde o ano de 1996.

Ou seja, apenas quem tinha autorização antes da suspensão pode correr nas ruas para angariar passageiros. Novos taxistas precisam procurar donos de alvarás para dividir o carro ou conquistar a transferência gratuita do alvará.

Porém, inclusive no Sindicato, é comum ouvir taxistas comentando sobre compra e venda de alvará, algo tido como ilegal de acordo com os meios legais. No mercado ilegal o alvará de taxi pode custa até R$ 150 mil, conforme afirma matéria publicada no site do Estadão, que entrevistou despachantes mantidos em anonimato.

O ponto do Aeroporto de Congonhas é mais cobiçado por causa do faturamento equivalente a quatrocentos reais ao dia, por esse motivo o alvará tem alto preço no mercado de venda ilegal.

Com o aumento da liberação dos Condutáxi se subentende que também cresceu a procura no mercado negro de alvarás que aluga ou venda o documento considerado arma para conquistar renda extra, negociação cuja legalidade é desconhecida de forma concreta por Lei.

Em outras regiões com média de menor lucro ao dia, caso do Terminal Princesa Isabel, na Luz, região central da capital, os valores estão na faixa dos sessenta mil reais. As negociações são feitas de modo aberto, bastando apenas perguntar a qualquer comerciante que indica o local no qual estão estabelecidos os escritórios especializados. O processo funciona da seguinte forma:

  1. Como sinal se vai à prefeitura para arrumar os documentos do alvará.
  2. No momento de reconhecer firma no contrato se fornece cheque administrativo do banco.

Outra maneira de obter a ilegalidade está em perguntar de modo pessoal nos pontos de táxi espalhados na cidade. Quase sempre existe a novidade sobre um colega que deseja passar o documento em troca de valores altos:

  • No Centro, Pça da República, o ponto fixo custa em torno de cem mil reais
  • Avenida Faria Lima e Região Berrini, ambas na zona sul, traz valores que podem chegar aos R$ 120 mil
  • Congonhas: R$ 150 mil

O Sindicato dos Taxistas aponta que cinco mil entre quase quarenta mil taxistas da cidade dividem o carro para trabalhar em conjunto, fato considerado legal, mas que é utilizado para acontecer venda ou aluguel alvarás na ilegalidade.

Leia mais

Foto: carrosdoalvaro.blogspot.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Check Also

Despedidos sem justa causa e combate ao trabalho infantil

A Convenção n. 158 da Organização Internacional do Trabalho afirma que um funcionário R…