Home Direito Trabalhadores industriais do mundo

Trabalhadores industriais do mundo

4 min read
0
Trabalhadores industriais do mundo
Industrial Workers of the World

Há tempos que existe a descrença entre os trabalhadores que políticos estão preocupados com a própria vida em detrimento da benfeitoria para a maioria da população. A descrença do intervencionismo da classe política em interferir na economia é quase que geral entre os brasileiros que desde épocas coloniais sofre com carência em termos de distribuição na renda. Nos Estados Unidos, Grã-Bretanha, e (em menor grau) Austrália, a tendência para o sindicalismo revolucionário culminou no aumento do julgamento de valor e realidade dos Trabalhadores Industriais do Mundo (IWW – Industrial Workers of the World, o que em português se equivale a Trabalhadores Industriais do Mundo).

Especialistas apontam que de forma técnica o grupo IWW é descrito como um sindicato que pratica sindicalismo revolucionário industrial na forma de anarco-sindicalismo. Outros apontam diferenças, por exemplo, Ralph Chaplin que escreveu: O IWW começou a abraçar greve geral em 1910-1911. O objetivo, segundo a teoria da instituição, é deslocar capitalistas e dar controle sobre os meios de produção aos trabalhadores. Em um discurso de 1911, em Nova York, Haywood demonstrou a visão da situação económica e por que ele acreditava que a greve geral era justifica.

Bill Haywood acreditava que sindicalismo industrial possibilitou a greve geral, única forma de se chegar à democracia industrial. De acordo com a teoria trémula, a greve é uma arma convencional (mas não a única) importante para a melhoria dos salários, horas e condições para o trabalho das pessoas.

Greves ajudam os trabalhadores a se educarem sobre a luta de classes e o que será necessário para executar ataque eventual com finalidade de alcançar a democracia industrial.

Os membros do sindicato industrial se educam para operar a indústria de acordo com os princípios democráticos e sem a atual estrutura de propriedade / gerenciamento hierárquico. Questões como a produção e distribuição seriam geridas por próprios trabalhadores.

Primeira guerra geral da história

No esboço da história, HG Wells disse que “os plebeus parecem ter inventado a greve, que agora faz sua primeira aparição na história”.  Os patrícios fizeram média de utilização das vantagens políticas para enriquecer através das conquistas nacionais em detrimento não só do inimigo derrotado, mas dos trabalhos da plebe.

Os plebeus não foram autorizados a conhecer as leis (que patrícios eram capazes de recitar de memória). Depois das greves, ganhou o direito de recorrer a qualquer injustiça para a assembleia geral. Em 450 AC, em concessão resultante da rebelião da plebe, as leis de foram rescritas em linguagem popular.

Fonte: IWW

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Check Also

Despedidos sem justa causa e combate ao trabalho infantil

A Convenção n. 158 da Organização Internacional do Trabalho afirma que um funcionário R…