Home Mercado de trabalho 1.047.914 empregos formais no primeiro Semestre

1.047.914 empregos formais no primeiro Semestre

3 min read
0
Geraçao empregos primer semestre
Geraçao empregos primer semestre

No primeiro semestre de 2012 o Brasil gerou 1.047.914 emprego de carteira assinada de acordo com CAGED (Cadastro Geral dos Empregados e Desempregados no Brasil). Desde dezembro do ano passado a geração de emprego formal cresceu 2,76%. Registros nacionais podem ser medidos de forma positiva em terras nacionais se comparados com cenário de empregabilidade encontrado em outras nações consideradas potências econômica.

Em de junho foram registradas 120.440 vagas celetistas, aumento equivalente a mais de 30% se comparados com o índice de 2011. Os oitos setores da econômica apresentaram expansão em quase todas as regiões do país, com exceção de Alagoas, que registrou -10,57% na geração de 37.595 postos por causa de motivos sazonais das atividades no setor sucroalcooleiro.

Destaques no crescimento do emprego brasileiro semestral dividido por setores

  • Serviços: 469.699 postos (+3,05%); De acordo com gestores dos dados gerados pelo CAGED, o dinamismo do setor aconteceu por conta de dois setores que bateram recordes na geração de emprego, caso do Ensino (86.517 empregos / +6,35%) e dos Serviços Médicos e Odontológicos (60.339 vagas / +3,80%).
  • Construção Civil: 205.907 postos (+7,13)
  • Agrícola: 135.440 (+8,69%)
  • Comércio: 56.122 (+0,66%)
  • Indústria da Transformação: 134.094 vagas (+1,64%)

Comparação com períodos anteriores

  • Admissões em junho: 1.732.327
  • Demissões em junho: 1.611.887

Se contabilizados os últimos dozes meses se pode dizer que houve aumento de 4,08% na geração de empregos formais em terras nacionais. A soma entre janeiro/2011 e junho/2012 traz crescimento real de 8,54% com o resultado de 3.064.257 empregos formais.

Crescimento do emprego dividido por regiões

  • Sudeste: 619.950 postos (+3,03%)
  • Sul: 203.253 (+2,96%)
  • Centro-Oeste: 152.403 (+5,40%)
  • Norte: 44.565 (+2,63%)
  • Nordeste: 27.743 postos (+0,46%)

Crescimento do emprego dividido por regiões

  • São Paulo: 335.980 (+2,77%)
  • Minas Gerais: 179.074 (+4,44%)
  • Paraná: 89.121 (+3,56%)
  • Rio de Janeiro: 86.498 (+2,43%)
  • Goiás: 74.176 (+6,87%)
  • Santa Catarina: 57.504 (+3,11%)
  • Mato Grosso: 36.851 (+6,46%)
  • Pará: 22.364 (+3,23%)
  • Distrito Federal: 18.405 (+2,56%)
  • Pernambuco: 8.750 (+0,68%)
  • Tocantins: 8.139 (+5,97%)
  • Amapá: 1.938 (+2,81%)
  • Acre: 2.953 (+3,88%)
  • Paraíba: 742 (+0,21%)

Aumento nas remunerações médias

Descontados a inflação do INPC, as remunerações médias de admissão mostraram crescimento de quase 6%, alcançando o valor de R$ 1.002 no primeiro semestre, superior ao divulgado em 2011 (R$ 946) de acordo com estudo do CAGED.

Em termos reais aconteceu aumento de 6% se comparados os primeiros semestres entre 2011 e 2012. As mulheres conquistaram pouca valorização frente aos homens; 6,15% contra 5,94%. Com os resultados a diferença do salário feminino para o masculino caiu 17% entre os dois anos: 2011 (86,25%) / 2012 (86,42%).

 Foto: paratidios.blogspot.com.es

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Check Also

Despedidos sem justa causa e combate ao trabalho infantil

A Convenção n. 158 da Organização Internacional do Trabalho afirma que um funcionário R…