Home Salário do trabalhador Aumento no salário médio de admissão no 1° Semestre de 2012

Aumento no salário médio de admissão no 1° Semestre de 2012

4 min read
0
Aumento no salário médio de admissão
Aumento no salário médio de admissão

Descontada a inflação do INPC, as remunerações médias de admissão mostraram crescimento de quase 6%, alcançando o valor de R$ 1.002 na contabilização do primeiro semestre. Número superior ao divulgado em 2011 (R$ 946) de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Brasil.

Em termos reais houve aumento de 6% se comparados os primeiros semestres entre 2011 e 2012. As mulheres conquistaram pouca valorização frente aos homens; 6,15% contra 5,94%. A diferença do salário feminino para o masculino caiu 17% entre os dois anos: 2011 (86,25%) / 2012 (86,42%).

Nos aspectos geográficos os dados indicam aumento geral em todos os estados da federação nacional, com maior destaque para:

  • Acre (+13,48%)
  • Sergipe (+9,92%)
  • Pará (+9,18%)
  • Rio Grande do Norte (+8,92%)
  • Pernambuco (+8,41%)
  • Distrito Federal (+8,32%)
  • Mato Grosso (+8,19%)

Desde 2003, quando o índice era de R$ 711 na média salarial entre os brasileiros, os números conquistaram aumento de aproximados 41%: 44% entre homens e 36% às mulheres.

Todos os níveis de escolaridades conquistaram aumento no salário médio do primeiro semestre de 2012.

Aumento na geração de emprego no primeiro semestre:

Nos seis primeiros meses deste ano foram gerados mais de um milhão de empregos celetistas de acordo com os dados do CAGED. Aumento de +2,7% se comparado com os dados de dezembro do ano passado.

Somente no mês de junho foram criadas 120.440 vagas formais, crescimento 0,3% maior do que em março.  Os oitos setores básicos da economia proporcionaram aumento na economia.

Crescimento de postos divididos por regiões geográficas:

  • Sudeste: 619.950 vagas (+3,03%)
  • Sul: 203.253 vagas (+2,96%)
  • Centro-Oeste: 152.403 vagas (+5,40%)
  • Norte: 44.565 vagas (+2,63%)
  • Nordeste: 27.743 vagas (+0,46%)

Distribuição de renda brasileira

Diminui a desigualdade na renda segundo dados da pesquisa “De volta ao País do Futuro”, realizada pela Fundação Getúlio Vargas que levou em conta o período entre os janeiros de 2011 e 2012, contabilizando queda de 2,1%, chegando à faixa dos 0,5190 pontos no índice GINI que varia de 0 a 1.

Apesar da diminuição considerada espetacular pela FGV, a pesquisa também diz que o Brasil ainda está com cenário negativo se levado em consideração a posição entre as doze piores nações em todo globo terrestre. De qualquer forma, o índice aumenta desde 2001, acompanhando o crescimento econômico brasileiro em plena crise econômica mundial.

O número de brasileiros pobres caiu quase 8% entre janeiro do ano passado e deste ano, ritmo considerado três vezes acima da média estipulada pelas metas do Milênio / ONU. Vale ressaltar que a diminuição foi ainda maior entre “jan.2010” e “jan.2011”: -11,7%.

Foto: bytembora.blogspot.com.es

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Check Also

Despedidos sem justa causa e combate ao trabalho infantil

A Convenção n. 158 da Organização Internacional do Trabalho afirma que um funcionário R…