Home Entrevista de emprego Como escolher a melhor pretensão salarial

Como escolher a melhor pretensão salarial

4 min read
0
Salário é um tema que aparece em entrevistas de emprego

As entrevistas de empregos são extremamente antagônicas umas das outras, na prática é muito difícil entender o que realmente os selecionadores das vagas desejam saber. A sinceridade é um dos segredos, contudo a escolha da pretensão salarial pode ser um ponto chave para uma futura efetivação. Algumas empresas preferem pagar salários baixos enquanto que outras oferecem excelentes renumerações.

Até mesmo quando se procura vagas pela internet é bastante comum solicitarem ao candidato, entre outras requisições, o valor da pretensão salarial. De fato, muitos recrutadores fazem questão da informação antes do agendamento das entrevistas.

Poucas pessoas conseguem manter a calma neste momento, contudo ficar mudo e não responder nada é o caminho mais contraindicado. Na prática é sempre aconselhável uma autoanálise própria, do mercado e da empresa que oferecer o cargo. Prepare o discurso e evite certos tipos de surpresas que podem ser cruciais à candidatura.

A atual situação do candidato deve sempre ser levada em conta. Não há como exigir salário acima do mercado estando desempregado por mais gabaritado que se tenha. Porém, quem já está empregado e procura outra oportunidade, ou mesmo é convidado à mesma, certamente pode arriscar em pedir um pouco a mais, principalmente quando se possui excelente formação ou conhecimentos extras relacionados com a produção requisitada.

Contudo, saber exatamente qual é a média salarial da área é expressamente indispensável para conquistar a resposta correta ou possuir maior poder de negociação. Os valores mais justos de cada categoria profissional normalmente estão localizados nos endereços eletrônicos oficiais dos seus respectivos sindicatos.

Benefícios salariais

Existem outros diversos aspectos além da renumeração almejada que podem ser decisivos. Os benefícios salariais também são vistos como outro grande ponto de disputa. Quem almeja agregar curso de inglês, faculdade, academia e saúde, fatalmente terá mais dificuldade para negociar futuramente.

A sinceridade também é outra dica que pode fazer bastante diferença. Caso o candidato aceite receber menos do que realmente necessite estará fadado a ficar frustrado no futuro, atrapalhando todo o ambiente de trabalho e produção do empreendimento, culminando seguramente em uma futura demissão. Certamente que é melhor rejeitar a proposta e procurar outra chance melhor renumerada.

Pragmaticamente a hora da autocrítica sempre deve ser medida com bastante veemência. Alguns ainda podem se aventurar no mercado de trabalho, recebendo menos, mais com maior probabilidade de crescimento dentro da corporação. Já outros não podem arriscar tanto por possuírem dependentes ou por necessitarem de renda para se sustentar. A discussão é bem polêmica e as decisões do gênero devem ser refletidas com bastante sabedoria.

Foto: philiperibeiro no Flickr 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Check Also

Despedidos sem justa causa e combate ao trabalho infantil

A Convenção n. 158 da Organização Internacional do Trabalho afirma que um funcionário R…