Home Mercado de trabalho Estagnação: Mercado de trabalho e Economia do Brasil 2011

Estagnação: Mercado de trabalho e Economia do Brasil 2011

4 min read
0
O emprego no Brasil 2011

As seis maiores metrópoles do país contam com gerações de empregos estagnadas. A economia não sobe e nem desce, sendo que o preparo profissional dos trabalhadores nacionais ainda não está no nível ideal. Em épocas de crise mundial este é um cenário perfeito à proliferação de dúvidas sobre a legítima resistência da nossa economia. A taxa de desemprego em setembro ficou novamente estabilizada em 6%, assim como junho e julho. Confira na íntegra! Ritmo lento no mercado de trabalho devido à estagnação econômica do Brasil no segundo semestre de 2011.

Os números são divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), um dos marcadores mais respeitáveis em todo o país. Entretanto é importante frisar que esta é a menor marca desde 2002, quando de fato o órgão iniciou as contabilizações de forma qualitativa e quantitativa.

Segundo Cimar Azeredo Pereira, gerente da pesquisa, não estão sendo gerados novos postos de trabalho para sustentar a alta demanda que se prolifera. O governo precisa gerar alguma forma para estimular a inflexão da taxa de juros eminentemente, ou futuros transtornos relacionados com geração de empregos podem ocorrer.

O IBGE diz que 10 mil cidadãos estiveram em busca de emprego entre agosto e setembro deste ano, sendo que foram abertos 28 mil postos. Entretanto, a demanda aumentou 0,7% enquanto que a oferta cresceu apenas 0,1% se comparados com os números do ano passado .

Vale ressaltar que no mesmo período ouve redução de -1,6% no comércio e -1,1% na indústria, dois setores primordiais para evolução de qualquer mundo. Os especialistas dizem que neste período os industriais e comerciantes deveriam estar contratando avidamente novos empregados.

É interessante notar que as renumerações presentes nos setores indústrias são as mais altas de todo o mercado de trabalho brasileiro. Porém, apenas entre setembro e agosto de 2011 ouve retrocesso de rendimento de 1,8%.

Melhor do que em 2010: Apesar da estagnação, os dados de 2010 eram ainda piores do que em épocas contemporâneas. Entre janeiro e setembro o índice registrou diminuição de 7,1% para 6,2%. Contudo, o rendimento do trabalhador aumentou 3,3%.

Os esperançosos jogam todas suas fichas para os últimos meses do ano. Mas com o anúncio oficial do governo no que tange ao aumento do aviso prévio de 90 para 180 dias, dificilmente a taxa de desemprego vai diminuir de forma explícita. Foram analisadas as cidades de: Recife, Salvador, Belo Horizonte, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo.

Leia mais
Taxa de desemprego no Brasil em julho de 2011

Foto: Mariel no Picasa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Check Also

Despedidos sem justa causa e combate ao trabalho infantil

A Convenção n. 158 da Organização Internacional do Trabalho afirma que um funcionário R…