Home Mercado de trabalho Geração de emprego em maio é pior desde 2009

Geração de emprego em maio é pior desde 2009

3 min read
0
Geração de emprego em maio
Geração de emprego em maio

Governo comemora a geração de 140 mil vagas em junho, diminuindo a taxa de desemprego em 0,2% e conquistando 5,8% no índice. O cenário é positivo se comparado com a geração de emprego nos grandes países da Europa e Estados Unidos que no mesmo mês apresentou aumento da falta de trabalho, abalando a confiança dos investidores. Porém, a geração de novos postos no país neste mês foi pior desde 2009.

Segundo os dados do CAGED (Cadastro Geral de Empregos e Desempregados) na comparação com o mesmo mês do ano passado aconteceu diminuição de quase 45%, momento no qual foram registradas criações de 252.067 postos contra 139.679. A estatística foi divulgada no dia 21/06, dentro do portal MTE (Ministério do Trabalho e Emprego).

Ainda segundo o Ministério a quantidade resulta do movimento entre 1.758 mil admissões contra 1.645 demissões, os dois dados considerados segundos maiores entre o período de três anos. Comparado com o mês anterior o emprego caiu em 35,5%; com a criação de 216.974 postos.

Se analisado o acumulado do ano o saldo é positivo (878 mil vagas formais de trabalho, ou seja, empregos de carteira assinada). Se comparado o número do período dos anos anteriores antecedentes aconteceu queda de 25%.

Pior resultado desde 2009, quando foram abertas aproximadas 180 mil vagas. Mesmo com os números da atualidade o IBGE divulgou que a taxa de desemprego brasileira em maio de 2012 foi de 5,8%, recuando 0,2% comparado com abril e 0,4% ao mês de maio – menor resultado do quinto mês anual desde o início da contabilização implantado em 2002.

No crescimento por setores a maioria dos tipos produtivos da economia aumentou a geração emprego:

  • Agricultura (+ 46.261 postos / + 2,94% comparado com o mês anterior)
  • Serviços (+ 44.587 postos / + 0,28%)
  • Indústria de Transformação (+ 20.299 postos / + 0,25%)
  • Construção Civil (+ 14.886 postos / +0,49%)
  • Comércio (+ 9.749 postos / + 0,11%)
  • Administração Pública (2.660 / + 0,32%)
  • Extrativa Mineral (1.251 vagas)

Outro destaque ficou por conta dos serviços:

  • Alojamento e Alimentação (+ 10.212 / + 0,19%)
  • Médicos e Odontológicos (+ 9.024 / + 0,56%)
  • Comércio e Administração de Imóveis (+ 8.968 / + 0,20%)
  • Ttransportes e Comunicações (+ 8.539 / + 0,41%)
  • Ensino (+ 7.107 postos + 0,49%)
  • Instituições Financeiras (+ 737 postos ou + 0,11%)

Geração de emprego no Brasil dividida por regiões:

  • Sudeste (+ 101.876 / 0,49%)
  • Centro-Oeste (+ 13.473 / + 0,46%)
  • Sul (+ 9.913 / 0,14%), Nordeste (+ 9.060 / +0,15%)
  • Norte (+5.357 / +0,31%)

Foto: cecapicampina.blogspot.com.es

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Check Also

Despedidos sem justa causa e combate ao trabalho infantil

A Convenção n. 158 da Organização Internacional do Trabalho afirma que um funcionário R…