Home Condições de trabalho Medos irreais e reais no ambiente de trabalho

Medos irreais e reais no ambiente de trabalho

4 min read
0
Existem diferentes tipos de temores relacionados com questões do nosso trabalho

O medo pode ser um sentimento bem natural nos concorridos ambientes corporativos que a cada dia exigem mais dos seus colaboradores. A realidade vira simulacro em um piscar de olhos e a concepção do que é real ou irreal já não existe mais, o único pensamento é sobre o risco do desemprego. Conheça verdade e inverdades relacionadas com o medo no trabalho.

As fobias sociais são consideradas como medos não reais. O grande receio de estar sendo constantemente avaliado por superiores já causa calafrios justamente pelo frequente medo da reprovação. Normalmente a pessoa que possui este problema na vida também acarreta o mesmo perfil negativista no serviço sendo que a estima baixa fica bem explícita diante de todos ao redor.

“O medo da concorrência com o seu colega de trabalho é bastante real, assim como o medo de perder o emprego. Já, os medos não reais podem ser representados pelas pessoas que não conseguem expor suas ideias, tem dificuldades de se expressar ou não conseguem liderar uma equipe”, afirma o renomado psiquiatra Tito Paes Barros Neto.

A negatividade normalmente faz parte da própria pessoa que normalmente possui muitas dúvidas sobre a própria capacidade e consequentemente acaba duvidando da coletividade. São momentos onde o cérebro esquece que os seres humanos são intimamente antagônicos uns dos outros, principalmente no que tange ao medo. Alguns especialistas dizem que este é um fator imutável, já outros apontam como algo que pode ser tratado.

A dificuldade com o relacionamento em público é outro grande fator de tremedeiras. “Por receio de receber críticas, mesmo sabendo que sua opinião está correta, o profissional não se manifesta. A situação fica mais crítica quando um colega faz a mesma colocação que ele iria fazer. A pessoa fica mal consigo mesma, passa a repensar a carreira. No final, todos perdem”, afirma a conceituada psicóloga Neuza Corassa.

O que fazer para evitar o medo?

Partindo do pressuposto de que o ser humano naturalmente possui medo, o correto é possuí-lo na medida correta. Normalmente ficar amedrontado por não conseguir entregar a tarefa no prazo estipulado é mais benéfico do que permanecer inibido por questões existenciais criadas pela própria mente diante a própria realidade.

O medo antecipado deve ser evitado. Quem possui o sentimento de forma exagerada pode procurar ajuda especializada com um psicólogo por exemplo. Às vezes alguns antidepressivos são medicados para controle, contudo os artifícios naturais são mais indicados.

Contudo, a melhor saída cabe ao líder que deve combater esta problemática minimizando os momentos de tensão e percebendo quem fica de fato amedrontado durante as rotinas no itinerário.

Foto: emidiobatista no Flickr 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Check Also

Despedidos sem justa causa e combate ao trabalho infantil

A Convenção n. 158 da Organização Internacional do Trabalho afirma que um funcionário R…