Home Mercado de trabalho Mercado de Trabalho em Mato Grosso do Sul

Mercado de Trabalho em Mato Grosso do Sul

4 min read
0
Boas perspectivas na geração de emprego em Mato Grosso do Sul
Boas perspectivas na geração de emprego em Mato Grosso do Sul

Especialistas entram em conversão quando dizem que o mercado de trabalho no Mato Grosso do Sul está com perspectivas positivais principalmente por causa do otimismo do empresariado que promete investir pesado nos setores da construção civil e turismo. De janeiro a maio foram criadas quase 20 mil postos de trabalhos celetistas, com carteira assinada.

Os principais especialistas apontam que existe alta perspectiva de aumento do aquecimento da economia regional aos próximos meses, pelo menos até o final do ano.

Com o boom da construção civil e a presença das grandes multinacionais que chegaram ao estado no início do ano, demandou trabalho para outras áreas, como nos setores de alimentações ou serviços com a geração de quase 10 mil vagas formais, 50% do total de contratados no total contabilizado no período.

Aumento da renda nacional e crescimento na região

Existem opiniões que creditam o crescimento da geração de emprego por causa da renda nacional, aumentando o consumo não somente dos residentes como também de turistas brasileiros que são maioria na região. Beneficiando os serviços por causa dos gastos internos ou turísticos.

A renda em alta no país inteiro demonstra cenário positivo, com empreendedores ampliando estabelecimentos turísticos, agregando maior valor às instalações. O aumento da rentabilidade representa melhora para a sociedade em geral. No entanto, Brasil ainda está entre as nações com maior desigualdade social em todo o planeta. Cenário parece estar melhorando aos poucos, estando longe do ideal na atualidade.

Principais destaques na geração de emprego

A indústria da transformação ficou em primeiro lugar na geração de emprego em Mato Grosso do Sul com 3,3 mil novos postos, seguidos pela construção civil (2,8 mil) e agropecuária (2,2 milhões).

O segmento de alimentícios é destaque na geração de postos de trabalho dentro do setor da indústria da transformação criando quase 1,5 mil novas vagas. Com a redução nas taxas de juros os empresários possuem tendência em investir no crescimento principalmente entre as ramificações que apresentam maior taxa de crescimento.

Renda nacional: O rendimento médio real já descontado da inflação foi de R$ 1.725 em maio. Queda ligeira se contabilizados os dados do mês anterior. Se comparado com o mesmo mês do ano passado se pode dizer que aconteceu aumento de quase 5%.

Os serviços domésticos, entre os dois anos contabilizando o mesmo mês, com destaque conquistou aumento de 9,7%. Divididos por regiões os três realces no aumento da renda ficou por conta de Recife (4%), São Paulo (0,5%) e Belo Horizonte (0,4%).

Foto: paulofrancominasgerais.blogspot.com.es

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Check Also

Despedidos sem justa causa e combate ao trabalho infantil

A Convenção n. 158 da Organização Internacional do Trabalho afirma que um funcionário R…