Home Trabalho no exterior Mercado de Trabalho na Espanha

Mercado de Trabalho na Espanha

4 min read
0
Estado da crisi na Espanha
Estado da crisi na Espanha
A crise da atualidade está trazendo maiores reveses do que o Crack de 29 para alguns países, entre eles a Espanha, que está com setores paralisados, caso de geração de emprego público ou construção civil – país que não constrói deixa de crescer em níveis qualitativos. Conheça os efeitos da crise no mercado de trabalho espanhol.

Estimativas apontam que a taxa de desemprego na Espanha da atualidade está entre 25% e 30%, número recorde que não acontecida desde a crise dos anos oitenta do século XX. Média que ressume pouco crescimento econômico não somente em território espanhol, como também nos principais países do velho continente.

Os índices apontam para piora ao longo prazo. Um dos relatórios mais respeitados na Europa, conhecido como OCDE – Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico – aponta que o crescimento não deve ultrapassar a casa de um por cento ao final do ano.

Desde 2007, as contas da previdência estão sentindo bastante, sendo uma das principais preocupações dos governantes atuais, visto que quase trezentos mil contribuintes não estão contribuindo, número equivalente a treze por cento do total de contribuintes. Foi neste ano que os efeitos da crise começaram a surgir na Espanha.

O INE afirma que existe maior número de trabalhadores saindo do território espanhol do que entrando para trabalhar. Até a metade de 2012, são quase seiscentos mil saídas contra quatrocentas e cinquenta mil entradas, sendo pelo menos trinta mil de trabalhadores espanhóis. Informações governamentais atestam que a situação deve durar pelo menos até o ano de 2020.

A Problemática de Trabalhadores Ilegais no País

Este representa um dos grandes problemas do mercado de trabalho espanhol na atualidade. São quase seis milhões de imigrantes trabalhando dentro do país, sendo boa parte exercendo itinerário de forma não oficial e deixando de pagar os tributos ao governo, que precisa arrecadar bastante para sanar a dívida pública que coloca os espanhóis como sendo inferiores entre as nações mais ricas do mundo.

É possível afirmar que na Espanha atual, existem quase cinco milhões de desempregados, cuja maioria está na faixa das idades jovens que correm sério risco de ficarem traumatizadas pelo resto da vida em consequência da falta do emprego formal no país. Os espanhóis chegaram a estar entre as cinco maiores economias do planeta Terra. Na atualidade, se encontra apenas na quadragésima quinta posição no cenário geral. A média do desemprego no primeiro semestre de 2012 foi de 26%.

Foto: despierten.wordpress.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Check Also

Despedidos sem justa causa e combate ao trabalho infantil

A Convenção n. 158 da Organização Internacional do Trabalho afirma que um funcionário R…