Home Trabalho no terceiro setor Por que não começar a carreira em uma ONG?

Por que não começar a carreira em uma ONG?

4 min read
0
Trabalho na Organização Não Lucrativa
Organização Não Lucrativa
Há alguns anos atrás, uma Organização Não Lucrativa (ONG) era vista com certa desconfiança no mercado de trabalho, pois tinha-se a impressão que, apesar do objetivo nobre, sua organização interna era desestruturada e os meios para obtenção de recursos eram escassos e, por vezes incertos.

Porém, a partir do momento em que essas instituições contaram com o apoio de empresas privadas e, com isso, a verba necessária para investimento, conseguiram capacitar seus empregados e desenvolver um ambiente perfeito para quem está começando a carreira, pois irá ajudá-lo a desenvolver diversas competências profissionais. Como, por exemplo:

  • Organização: normalmente os profissionais que trabalham em ONGs precisam lidar com diversas demandas e executar tarefas das mais variadas. É importante que o profissional seja organizado não apenas com os instrumentos de trabalho, mas também com o ambiente em geral.
  • Iniciativa: sempre há algo para ser feito e muitas coisas passam despercebidas. Logo, procure tomar a iniciativa e perguntar se há algo que você possa fazer ou, caso você já tenha percebido essa necessidade, candidata-se para resolvê-la. Pode ser algo que não esteja diretamente ligado com o que você faz, mas com certeza irá agregar algo na vida profissional.
  • Relacionamento: ONGs são, acima de tudo, pessoas. Logo, relacionar-se com elas será algo natural na sua rotina. E isso é ótimo tanto para quem é um pouco mais fechado, pois ajuda a desenvolver o relacionamento interpessoal, quanto para quem já possui um perfil mais extrovertido, já que contribui para o desenvolvimento de networking e serve como teste para o marketing pessoal.
  • Administração do tempo: O leque de atribuições que uma ONG pode demandar é tão grande que é bastante fácil para o profissional iniciante ficar perdido, sem saber o que faz parte do seu escopo de trabalho e o que pode ser deixado para depois. Faça uma lista do que precisa produzir no dia-a-dia, sabendo definir prioridades e, quando necessário, peça ajuda ou delegue as tarefas para seus colegas.

Essa tarefa, que parece tão simples, é um tormento até para os profissionais mais experientes, que costuma possuir o hábito de centralizar tudo em si mesmos e depois sofrem com o excesso de trabalho que precisa ser aprovado. Treinando essa habilidade desde o começo da vida corporativa, fica mais fácil se livrar desse costume tão prejudicial à saúde.

Foto: doshombresyundestino.blogspot.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Check Also

Quer se tornar um trabalhador temporário?

Mesmo que adotado por um número pequeno de pessoas no Brasil, o trabalho temporário é uma …