Home Mercado de trabalho Em busca de profissionais com mais de 50 anos

Em busca de profissionais com mais de 50 anos

4 min read
1


Atualmente um dos requisitos mais ambicionados pelos selecionadores de vagas é a maturidade. Muitos não almejam contratar funcionários de risco e que a qualquer momento podem abandonar o posto por inúmeras razões. Pelo contrário, quanto mais comprometido com as atividades no itinerário melhor. Entretanto, preparo profissional é estritamente necessário para assumir grandes cargos, algo que está faltando na mão de obra do país atualmente. Sendo que mesmo um currículo preparado não consegue ultrapassar o valor da capacidade de trabalho do profissional mais experiente. Aquecimento gerado no mercado de trabalho faz profissionais com mais de 50 anos estarem mais valorizados no mercado de trabalho.

A carreira depois dos 50 anos nunca obteve tanta valorização no país. Mesmo com o aquecimento do mercado os mais jovens não conseguem satisfazer qualificadamente a oferta e os mais velhos conquistam as vagas – cenário dos empregos bem renumerados de 2011.

Os cargos com menos renumeração são os que mais apresentam contratações de jovens. Hoje em dia, o trabalhador com menos idade despreparado está fadado a receber poucos salários por longos períodos. No Brasil contemporâneo existem milhões de jovens em busca de primeira oportunidade para de fato arrecadar renda e investir nos estudos.

Entretanto, o cenário para população com média de 50 anos é bem diferente. Apenas 2% esta em busca de emprego. Vale ressaltar que esta faixa etária é a menor entre todas no índice de desemprego nacional.

Entre todas as áreas a que mais emprega é Tecnologia da Informação. Subsequentemente estão as profissões mais relacionadas com RH ou gerência.

Na prática, procura por maturidade junto com vasta experiência evidencia o aquecimento no mercado de trabalho para este perfil de candidato. Com a expectativa de vida aumentando em todo país os empreendedores diminuem a discriminação à contratação dos funcionários mais antigos.

A geração Y é conhecida também por ser bem dinâmica, onde a mudança de emprego é algo bastante natural, sempre com o intuito de desenvolver ou expandir as mais diversas ideias. Porém, a estabilidade acaba sendo um ponto não favorável aos mais jovens.

Sem contar que os maduros são mais assíduos, quase não faltam e levam o itinerário com muito mais concentração e preocupação com a qualidade do seu serviço. Além de quase nunca chegarem atrasados sem justificativa plausível. A cada dia mais os contratantes se convencem que o valor da produção está intimamente conectado com a forma com que o funcionário se aplica no seu itinerário.

Foto: Maringá no Picasa

One Comment

  1. JOAO BATISTA PERARO

    5 janeiro, 2012 at 12:07 am

    joao batista (nivel médio) 53 anos , so tive dois emprego 1- de 1973 a 1979 e o 2- 1979 a 2006 tdos em area administrativa, desempregado

    Reply

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Check Also

Despedidos sem justa causa e combate ao trabalho infantil

A Convenção n. 158 da Organização Internacional do Trabalho afirma que um funcionário R…