Home Formação Quando realizar treinamento de funcionários?

Quando realizar treinamento de funcionários?

4 min read
0
Descubra qual é a melhor hora do dia para treinar seus funcionários

Funcionários mais preparados acabam sendo sempre trazendo mais benefícios para os empregadores, contudo, gastos extras podem colocar em risco o orçamento. Justamente por isso o treinamento é esquecido, o que pode ser crucial para o sucesso da empresa, afinal, empreendimentos que não estão atualizados fatalmente vão cair ladeira para baixo a caminho das bancarrotas, principalmente em uma época empresarial tão competitiva. Enfim, qual é a melhor hora de treinar os funcionários?

Segundo a pesquisa anual realizada pela Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento (ABTD) e pelas Mudanças Organizacionais e Treinamento (MOT), em 2010, 73% dos empregados brasileiros receberam treino ou aprimoramento profissional. A média anual foi de 45 horas gastas nas atividades relacionadas.

Na prática só ocorrem treinamentos quando os mesmos são solicitados, e por vezes insistentemente, quando um setor aprova a demanda utilizando diversas reuniões ou reflexões que podem durar semanas, meses, ou mesmo anos. Porém, especialistas e estudiosos dizem que prevenir é muito melhor do que remediar.

“As empresas deveriam fazer isto de forma preventiva, antes mesmo de uma solicitação. O treinamento deve ser realizado sempre que há mudança, pois não existe mudança sem readaptação”, observa a consultora Inês Gozzo Olivares.

O mundo corporativo sofre constantes mudanças diárias em busca de oferecer maior qualidade ou produzir mais com menos custo e tempo. Quem almeja estar em destaque naturalmente deve estar se especializando constantemente. Justamente por isso é fácil de entender que o retorno financeiro do investimento no preparo do funcionário acaba sendo, de certa forma, muito rápido.

“Partindo do pressuposto de que tudo é descontínuo, a empresa deve fornecer treinamento contínuo a seus colaboradores, na mesma proporção em que deseja manter-se competitiva e alinhada com a ‘Era do Conhecimento’, que é aquela em que vivemos”, é o que diz o consultor Benedito Milioni.

A motivação também é outro ponto que merece ser destacado. Com os treinamentos as pessoas ficam mais capacitadas didaticamente e profissionalmente. De fato, a felicidade contribui para que funcionários estejam mais estimulados e leais.

“Com pessoas mais envolvidas e felizes, temos resultados maiores por mais foco e atenção, perdas menores pela mesma razão, menor índice de absenteísmo, menor turnover, e, de quebra, menos ações trabalhistas no futuro”, atesta a consultora Branca Brandão.

Por fim existe a famosa confusão entre aprimoramento e benefícios. Muitos confundem os aspectos e descontam das renumerações dos trabalhadores, o que deve ser estritamente evitado. Ressalta-se que atualmente o grande objetivo do treinamento é o de atender todas as especificações de qualidade que existem do próprio governo que está muito mais taxativo em épocas contemporâneas nas mais diversificadas áreas profissionais no que tange a qualidade oferecida na linha de produção.

Foto: CTJOnline no Flickr 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Check Also

Despedidos sem justa causa e combate ao trabalho infantil

A Convenção n. 158 da Organização Internacional do Trabalho afirma que um funcionário R…