Home Salário do trabalhador Rendimento médio cresce em outubro

Rendimento médio cresce em outubro

4 min read
0

Rendimento médio do trabalhador brasileiro cresce em outubro, o que significa um maior poder aquisitivo da população. Governo estimula consumo do brasileiro para aquecer a economia no intuito de controlar inflação. Segundo pesquisa do DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos – assalariados contaram com aumento de 2% (R$ 1.478) enquanto que ocupados ativos cresceram 2,5% (R$ 1.426).

Aumenta o poder aquisitivo da ppopulação brasileira!

Na prática era de se esperar. Governo brasileiro estimula de diversas formas o aumento da renda do trabalhador no final de ano. Renda para consumo e fomentação no ciclo da economia. Se comparado nosso cenário com o de outros países, no que tange geração de emprego e renda média relacionada com custo de vida, estamos conseguindo nos manter bem economicamente.

Este estudo do DIEESE foi realizado em sete grandes regiões metropolitanas do país. O primeiro semestre contou com ligeiras quedas, enquanto que Julho e agosto foram meses de estabilidade. Os dados desconsideram trabalhadores informais que não conquistaram renumeração nos respectivos meses, além de empregados familiares sem renumeração registrada.

Ressalta-se que nos últimos 12 meses antecedentes a outubro ocorreram quedas para empregados formais (3,3%) e informais (3%). Entretanto, trabalhadores ativos devem manter a calma. De acordo com Sérgio Mendonça, técnico do DIEESE, “Na comparação anual, com outubro de 2010, houve queda, mas com o provável arrefecimento da inflação, os rendimentos devem apresentar melhoras nos próximos indicadores de novembro e dezembro”.

• Rendimento dividido por estados e crescimento percentual em Outubro
Distrito Federal: R$ 2.168, aumento de 1,9%.
São Paulo: R$ 1.559; 4,7%.
Porto Alegre: R$ 1.439; 0,8%.
Recife: R$ 1.033; 0,7%.
Belo Horizonte: R$ 1.400; 0,3%.
Salvador: R$ 998; 0,3%.
Fortaleza: R$ 922; 1,5%.

• Queda percentual no rendimento médio dos ocupados nos últimos 12 meses
Distrito Federal: 0,4%
São Paulo: 4,2%
Porto Alegre: 0,2%
Recife: 2,5%
Belo Horizonte: 4,2%
Salvador: 10,3%
Fortaleza: 0,4%

Carteira Assinada, Novembro

Quase 43 mil empregos com carteira assinada foram registrados em Novembro, pior registro desde 2008. Números que certamente devem ofuscar grandes aumentos na rentabilidade para os próximos meses.
Entretanto, foram geradas 140 mil vagas temporárias para os dois últimos meses de 2011, fator que deve acrescentar algumas porcentagens no rendimento médio do trabalhador brasileiro.

Com o consumo aquecendo a economia, a indústria e o comércio, estes setores podem manter os funcionários temporários como efetivos, colaborando para o aumento dos índices de geração de emprego neste período, o que contrasta com muitos países desenvolvidos que estão registrando altos índices de desemprego.

Fonte: Dieese; Folha.uol.com.br
Foto: Grupoescolar no Flick

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Check Also

Despedidos sem justa causa e combate ao trabalho infantil

A Convenção n. 158 da Organização Internacional do Trabalho afirma que um funcionário R…