Home Condições de trabalho Trabalho escravo no McDonald’s?

Trabalho escravo no McDonald’s?

4 min read
0
Trabalhar no McDonald´s

A estimada entidade está presente em diversos países quantitativamente, sendo grande líder em seu segmento. Quem almeja entrar neste negócio deve desembolsar quantias milionárias para abrir franquias, sendo este um dos investimentos mais seguros do mundo.

Entretanto, diversas denúncias fizeram a Câmara dos Deputados convidar formalmente o McDonald’s para dar explicações sobre trabalho escravo.

Sendo que a principal foi encaminhada ao TST (Tribunal Superior do Trabalho) pelo SINTHORE/SP (Sindicato dos Trabalhadores no Comércio e Serviços em Geral de Hospedagem, Gastronomia, Alimentação Preparada e Bebida a Varejo de São Paulo e Região). As reclamações são contra o programa chamado jornada de trabalho flexível.

Vale ressaltar que a própria ministra Dora Maria da costa criticou veementemente as políticas salarias e de jornada de trabalho da lanchonete. De qualquer forma, países que buscam evolução humana e econômica não podem admitir a existência de trabalho escravo.

As garantias básicas dos trabalhadores que atuam em qualquer segmento devem ser asseguradas segundo as normas do texto oficial.
Jornada de trabalho flexível do McDonald’s!

Toda discussão tem como base renumerações tidas como abaixo dos parâmetros estipulados por Lei. De acordo com vídeos veiculados na internet, paga-se R$ 2,50 por hora de trabalho nos contratos com estes perfis, representando aproximadamente R$380 mensais, mais ou menos R$165 inferior ao salário mínimo brasileiro equivalente a R$545.

Estes valores estão relacionados com jornadas de trabalho acima de 44h. Vale ressaltar que funcionários podiam programar horas de intervalo sofrendo os descontos correspondentes, simbolizando renumeração mensal ainda inferior aos ausentes por motivos escolares. Sendo que a empresa indica que possui o programa para ajudar empregados que estudam e precisam de maior tempo de descanso. McDonald’s!

Por outro lado a empresa afirma que faz pagamento segundo pisos salariais estipulados pela Lei para trabalhadores que estão fora da jornada flexível, ou seja, aos que cumprem horário integral de 44h. Sendo que o programa está direcionado para estudantes em uma conciliação qualitativa entre estudo e trabalho. Disse ainda que casos onde ocorre descumprimento de suas normas precisam ser medidos como exceções que serão apuradas o quanto antes.

Convite da Câmara
O requerimento enviado diz que a lanchonete dever prestar explicações sobre todas suas políticas de trabalho. Esta audiência pública será munida de deputados que esperam receber respostas satisfatórias sobre este problema. Quem aprovou o envio foi a CTASP – Conselho de Trabalho, de Administração e Serviço Público. Basta aguardar as defesas alegadas e decisões dos parlamentares.

Leia mais:
Queda na renda média dos brasileiros

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Check Also

Despedidos sem justa causa e combate ao trabalho infantil

A Convenção n. 158 da Organização Internacional do Trabalho afirma que um funcionário R…